COMPARTILHE EM SUAS REDES


Eles vieram para ficar, mas ainda tem muita estrada pela frente até que a maior parte dos motoristas – principalmente os brasileiros – possam ter um carro elétrico na garagem. 

Mesmo assim, a ideia é que a partir de 2030 muitos países já restrinjam a circulação de carros a combustão, até que seja totalmente proibida. O planeta agradece, pois graças aos carros elétricos a emissão excessiva de gases poluentes pelos escapamentos está com os dias contados.

Com essa nova realidade em curso, as montadoras estão com o pé no acelerador para se adaptarem, e uma verdadeira revolução tem tomado conta da indústria automotiva, que tem lançado cada vez mais modelos de carros elétricos no mercado. 

Mas ainda vai levar algum tempo até que os carros elétricos sejam maioria nas ruas e estradas, principalmente por conta de suas baterias, que oferecem pouca autonomia e levam um tempo considerável para serem carregadas. Embora as pesquisas para resolver essas questões estejam avançadas, a solução ainda aponta para os carros híbridos, que unem motor a combustão e elétrico no mesmo veículo.

No caso do Brasil, os obstáculos pelo caminho são ainda mais desafiadores. Como toda produção de carros híbridos e elétricos é importada e cotada em dólar, os preços por aqui são chocantes de tão altos. Outro problema está nos poucos pontos de recarga existentes atualmente, o que faz com que álcool e gasolina ainda reinem absolutos na hora de rodar grandes distâncias.

Como deu para perceber, o carro elétrico é uma realidade em evolução, e estar informado sobre o assunto é importante. Por isso, nesse artigo vamos responder algumas de suas  principais dúvidas, principalmente em relação ao mercado de carros elétricos no Brasil.

Recarregue as baterias e vamos em frente.

Índice

• Como funcionam os carros elétricos?

• Como carregar a bateria de um carro elétrico

• E os carros híbridos?

• Carros elétricos e híbridos que chegam ao Brasil em 2021

• Mercado de carros elétricos no Brasil

• Mercado de carros usados elétricos e híbridos no Brasil.

• Compra e venda de carros híbridos ou elétricos usados

Como funcionam os carros elétricos 

Movidos por um ou mais motores elétricos utilizando energia armazenada em baterias recarregáveis, os carros elétricos não precisam de marchas para elevar o giro do motor. Eles só necessitam da primeira marcha e da ré, já que o torque total é liberado a 1 rpm, tirando o veículo da inércia. Seu mecanismo depende de quatro componentes básicos.

·   Bateria recarregável, que armazena a energia necessária para o carro funcionar.

·   Inversor, que converte a corrente elétrica contínua em corrente alternada.

·   Motor de indução, que recebe a corrente e aciona os mecanismos que fazem o carro funcionar.

·   Sistema de recuperação de energia, para recarregar a bateria.

Como não há queima de combustíveis, o carro elétrico não emite ruídos, nem gera poluentes.

Close em carro elétrico branco com cabo de energia plugado em tomada de carga
Tempo de carga de bateria e autonomia variam entre diversos modelos de carros elétricos (Imagem: Unsplash)

Como carregar a bateria de um carro elétrico? 

Em tomadas caseiras de 220V, um carro elétrico pode levar entre 6 e 12 horas para ter uma recarga completa, mas isso depende da capacidade da bateria. Já em tomadas de 110V o processo é muito mais lento, podendo levar até dois dias em alguns casos. 

Existem também no mercado aparelhos de parede, que completam o carregamento em até 4 horas. Já os eletropostos especializados em carregamentos rápidos, fazem a recarga em cerca de 40 minutos.

A autonomia dos veículos elétricos varia de carro para carro, dependendo da capacidade da bateria. Em geral, uma recarga pode durar de 200 km a 350 km.

Close em traseira de carro Toyota Prius com cabo de recarga plugado em entrada
Toyota Prius foi um dos modelos híbridos pioneiros no mercado (Imagem: Pexels)

E os carros híbridos?  

Com dois motores diferentes, um movido a combustão e outro a eletricidade, os carros híbridos aproveitam o que cada um desses motores oferecem de melhor para que o veículo tenha o melhor desempenho.

Comparados com os automóveis movidos a álcool ou gasolina, os híbridos emitem menos gases nocivos ao meio ambiente e são muito mais econômicos, pois gastam menos combustível, já que as rodas recebem tração por meio da energia elétrica. 

Outra vantagem é a diminuição drástica de ruídos vindos do motor, o que torna o híbrido um carro muito mais silencioso.

Como em nosso país os veículos totalmente elétricos ainda são muito caros, os carros híbridos no Brasil são mais acessíveis e suas vendas aumentaram significativamente entre 2019 e 2020

Carros elétricos e híbridos que chegam ao Brasil em 2021 

Jeep e Toyota apostam nos híbridos. Já Audi, Renault, Peugeot, JAC Motors, Mini, Fiat e Volvo focaram nos veículos totalmente elétricos. 

Toyota Corolla Cross (híbrido)
Com motor 1.8 a combustão associado a um motor elétrico, é um SUV com 4,46 metros de comprimento e 489 litros de porta-malas. O espaço interno será um de seus grandes destaques. 

Peugeot e208 (elétrico)
Com 136 cv de potência, 26,5 kgm de torque, 0 a 100 km/h em 8,1 s e 340 km de autonomia, vai custar entre R$ 160 mil e R$ 200 mil. 

Jeep Compass / Renegade (híbrido)
Embora tenha confirmado o lançamento de uma versão híbrida de seus SUVs, a Jeep ainda não anunciou se será do Compass ou do Renegade. Por ser concorrente direto do Toyota Corolla Cross, a aposta é que seja o Compass, combinando um motor 1.3 turbo com outro elétrico, que chega a 130 km/h usando apenas eletricidade. 

Fiat 500e (elétrico)
A versão elétrica do Fiat 500e é equipada com um pacote de baterias de 42 kWh, suficiente para dar uma autonomia de 320 km ao motor elétrico de 117 cv. Vai de 0 a 100 km/h em 9 segundos e a velocidade máxima é de 150 km/h. 

Carro elétrico Audi e-tron estacionado em rua em frente a galpão com portões fechados
Modelo e-tron, da Audi, em suas diferentes versões, também conquista quem busca carros elétricos (Imagem: Pexels)

Audi RS e-tron GT (elétrico)
Um super sedã com dois motores elétricos - um em cada eixo - 700 cv, quase 80 kgm de torque, 0 a 100 km/h em 3 segundos e autonomia acima dos 400 km. 

Mini SE (elétrico)
Com tração dianteira, é alimentado por baterias de íons de lítio. Potência de 184 cv e 27,5 kgfm de torque. Aceleração de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos, velocidade máxima de 150 km/h e autonomia de pouco mais de 230 km. 

Volvo XC40 Recharge Pure Electric (elétrico)
A Volvo pretende continuar com a estratégia de lançar somente veículos eletrificados. Para essa versão do SUV XC40 são 413 cv de potência e 67,3 kgfm de torque. Destaque para as baterias, que podem chegar em 30 minutos a 80% e para a autonomia máxima de 400 km.

JAC EJ7 (elétrico)
Com design mais minimalista em relação ao mesmo modelo a combustão, pode rodar 530 km com uma carga de bateria. A potência chega a 193 cv, com torque de 36,7 kgfm, fazendo de 0 a 100 km/h em 7,6 segundos. 

Renault Zoe (elétrico)
Já presente no país, a nova versão deverá vir com bateria com capacidade 30% maior, que suporta recarga rápida, e sua autonomia deve passar de 300 km para 390 km. O novo motor elétrico terá capacidade para ir de zero a 100 km/h em 10 segundos e chegar a 140 km/h de velocidade máxima. 

O mercado de carros elétricos no Brasil

Com todas essas novidades, é natural imaginarmos que em um curto prazo o Brasil terá uma enorme quantidade de veículos movidos a eletricidade rodando pelo país - hoje, são pouco mais de 30 mil unidades -  mas a verdade é que esses carros são inacessíveis para boa parte da população por conta dos preços elevados.

Dessa forma, nas próximas décadas os veículos flex, movidos a álcool e gasolina, ainda devem continuar sendo a absoluta maioria dos veículos produzidos em escala industrial. 

Para os carros elétricos chegarem a tal ponto, seria preciso que os veículos a combustão deixassem de ser produzidos, e isso certamente não irá acontecer tão cedo. Outra questão são os poucos incentivos para carros híbridos e elétricos, que atualmente se limitam à isenção de impostos de importação e – no caso de São Paulo capital – da liberação do rodízio municipal de veículos.

Seria preciso muito mais isenções de impostos para causar impacto significativo no preço final de híbridos e elétricos e isso acaba não acontecendo, principalmente pelo fato de o Brasil ser uma potência na produção de etanol. 

Com a consolidação do carro flex, o etanol se tornou muito importante para gerar empregos e movimentar nossa economia. Assim, proibir o carro a combustão seria fatal para a indústria brasileira de etanol que, no final das contas, polui muito menos que a gasolina e também pelo fato de ser uma fonte renovável, sem risco de escassez a longo prazo. 

Então, mesmo que veículos elétricos e híbridos aumentem suas vendas por aqui nos próximos anos, estarão limitados às marcas mais luxuosas, já que a produção em larga escala é uma realidade bem distante. Por enquanto, apostar em carros eletrificados no Brasil, seria apostar no nicho de carros elétricos ou híbridos usados. 

Close de lateral de carro elétrico estacionado em rua recarregando bateria em eletroposto
Falta de estações de carregamento pode ser obstáculo para carros elétricos no Brasil (Imagem: Pexels)

Quanto custa um carro elétrico ou híbrido usado no Brasil? 

Por ser um mercado relativamente novo, a disponibilidade de carros elétricos usados é muito pequena. Já os carros híbridos usados são mais fáceis de serem encontrados, e com ofertas que podem valer a pena, algumas abaixo de R$ 90 mil. 

Confira a lista que preparamos com alguns modelos de diferentes marcas:

• Toyota Prius 2017 – Entre R$ 74 mil e R$ 81 mil.

• Ford Fusion Hybrid 2016 – Entre R$ 82 mil e R$ 92 mil. 

• BMW 530e M Sport 2018/2019 – Entre R$ 270 mil e R$ 290 mil. 

• Lexus CT 200h 2015 – Entre R$ 73 mil e R$ 85 mil.

• Volvo XC60 T8 R-Design 2018/2019 – Entre R$ 260 mil e R$ 290 mil

• Mini Countryman E 2018/2019 – Entre R$ 180 mil e R$ 192 mil

• Toyota Corolla 2019/2020 – Entre R$ 121 mil e R$ 139 mil

• Mitsubishi Outlander PHEV 2015 – Entre R$ 136 mil e R$ 140 mil

• Porsche Panamera 4-E Hybrid 2018 – Entre 550 mil e R$ 580 mil

Inovação nos carros e na forma de negociá-los

Como deu para perceber, ao contrário dos carros autônomos, os movidos por eletricidade são realidade há algum tempo, e já existe até um mercado com boas opções em usados e seminovos dessa categoria.

E se o mercado de carros está claramente avançando rumo ao futuro, com modelos híbridos e elétricos ganhando as ruas, já estava na hora da forma de comprar e vender veículos também evoluir, não?

É em meio a essa efervescência tecnológica que surgem ideias inovadoras como a proposta da CARUPI, que usa o que há de mais moderno para criar um jeito inédito de comprar, vender ou trocar carros usados, sejam eles elétricos, híbridos ou os tradicionais, a álcool, gasolina e até mesmo GNV. 

Jovem sentado em sofá usando laptop para comprar carro na Carupi
Inovação na hora de vender e comprar carros também: faça tudo sem sair de casa com a CARUPI (Imagem: Unsplash)

Com a solução exclusiva da CARUPI, você não leva um choque na hora de negociar veículos e pode escolher, testar e comprar carros usados e seminovos sem sair de casa, com todo conforto, praticidade e garantia de procedência.

Basta acessar nosso site ou aplicativo e escolher o modelo de sua preferência. Nós  levamos o carro até sua casa ou trabalho para você testar e aprovar antes de fechar o negócio, sem nenhum custo extra. 

Além disso, a CARUPI oferece dicas para escolher o carro ideal para você, soluções de pagamento e financiamento e profissionais especializados que cuidam de todos os trâmites, da avaliação do automóvel à assinatura da documentação e realização do pagamento. É facilidade e conveniência em alta voltagem! 

Quer saber mais? Baixe nosso aplicativo ou acesse www.carupi.com.br