COMPARTILHE EM SUAS REDES

A poluição gerada pelos carros em nossas cidades sempre foi - e continua sendo - motivo de intenso debate e muita preocupação. Muitas iniciativas visam reduzir esse impacto negativo no meio ambiente, desde o incentivo a um uso mais racional dos automóveis até a atual revolução dos carros elétricos. Mas já existem tecnologias automotivas que combatem esses efeitos há bastante tempo, e que acabam recebendo pouca ou nenhuma atenção em nosso dia a dia. Uma delas é o catalisador.

Se você não sabe o que é um catalisador, não precisa perder o sono: a tecnologia não é nova, e atualmente está presente na grande maioria dos carros rodando em nossas ruas - provavelmente no seu também - funcionando em segundo plano para limpar os gases nocivos emitidos pelo escapamento do seu carro

A menos que seu catalisador apresente defeito ou alguém tente roubá-lo - como é cada vez mais comum nos últimos anos - não há muito com o que se preocupar.

Neste artigo, explicamos tudo o que você precisa saber sobre o assunto: qual é a função do catalisador, como ele funciona, o que tem dentro do catalisador, quais são os materiais e metais preciosos usados nele e como evitar problemas com esse componente em seu carro.

Índice

O que é um catalisador e como funciona?

Quanto custa um catalisador de escape?

Como comprar carros usados revisados e periciados

Traseira de carro sedã vermelho com escapamento soltando fumaça tóxica e poluente
Alguns veículos mais antigos não contam com catalisador em seu sistema (Imagem: Unsplash)

O que é o catalisador e como funciona?

Em termos gerais, o catalisador (também chamado de conversor catalítico) é uma peça automotiva que transforma diversas substâncias nocivas presentes nos gases de escapamento de um carro - como monóxido de carbono, óxido nítrico, dióxido de nitrogênio e hidrocarbonetos - em substâncias menos prejudiciais como dióxido de carbono e vapor de água. 

Como o catalisador faz essa transformação? Por meio de reações químicas que ocorrem em seu interior. Ele é composto por uma estrutura cerâmica ou metálica que recebe, internamente, uma manta expansiva (que atua como um isolante térmico) e um tipo de filtro geralmente em formato de colmeia, sobre a qual é aplicado um revestimento que contém uma substância catalisadora, ou seja, um material responsável por criar uma reação com os gases de escape, alterando sua estrutura química.

Metais preciosos como paládio, ródio e platina são comumente usados como substâncias catalisadoras, pois são capazes de eliminar uma grande quantidade de elementos nocivos presentes na fumaça residual da combustão. 

Os catalisadores automotivos precisam funcionar em altas temperaturas para maximizar sua eficiência, e para atingir essa temperatura operacional ideal, as primeiras versões costumavam ser posicionadas perto do motor do carro. Mas essa localização causou alguns problemas e, gradualmente, os catalisadores foram se deslocando mais para baixo, próximos ao sistema de escapamento, e longe da fonte de calor do motor.

Imagem em 3D de catalisador automotivo com corte mostrando componentes internos
Catalisador automotivo: peça é responsável por reduzir emissões de poluentes (Imagem: divulgação)

Tipos de catalisador

Existem vários tipos de catalisadores. Um catalisador de oxidação bidirecional simples funciona transformando monóxido de carbono (CO) em dióxido de carbono (CO2) e hidrocarbonetos - que são basicamente partículas de combustível não queimado - em dióxido de carbono e água. Já os chamados “catalisadores de três vias", mais avançados, são instalados nos carros mais modernos e, além de cumprirem a missão acima, também reduzem ao mesmo tempo as emissões de óxido nítrico (NO) e dióxido de nitrogênio (NO2) - que juntos são mais comumente conhecidos como NOx - um dos principais poluidores atmosféricos.

Os carros a diesel normalmente têm conversores catalíticos especiais para lidar com as emissões específicas dos motores a diesel com ignição por compressão. Esses catalisadores de oxidação diesel são geralmente combinados com tecnologias adicionais de tratamento de exaustão, como recirculação de gás de exaustão, filtros de partículas diesel para reter fuligem e redução catalítica seletiva, que usa injeções de uma solução de ureia chamada AdBlue para remover o NOx.

A importância do catalisador

Estima-se que o catalisador seja capaz de eliminar até 98% dos agentes poluentes que resultam dos gases da combustão, o que, por si só, já é um feito e tanto em termos de redução da poluição e preservação da qualidade do ar que respiramos.

Mas a importância desse componente vai ainda mais longe: além de sua função ambiental, essa peça acaba sendo parte integrante do sistema de funcionamento do carro, colaborando para a otimização de sua performance geral.

Por essas e outras, o catalisador automotivo se tornou lei no Brasil: desde 1997, todos os carros fabricados por aqui devem obrigatoriamente incluir o componente em sua mecânica. Em outros países, como nos Estados Unidos, a presença do catalisador já é obrigatória desde a década de 70 do século passado.

Traseira de carro esportivo azul estacionado em frente a uma casa soltando fumaça escura pelo escapamento
Retirar o catalisador do carro aumenta poluição emitida e gera multa (Imagem: Unsplash)

Posso tirar o catalisador do meu carro?

Talvez por falta de conhecimento - e pelo custo relativamente alto do componente em uma eventual troca - muitas pessoas acreditam que retirar o catalisador do seu carro pode colaborar com um aumento de potência do veículo. Mas, na verdade, as consequências podem ser justamente inversas: remover essa peça do automóvel pode até mesmo diminuir seu desempenho, levando a um aumento no consumo de combustível, por exemplo.

E claro, vale lembrar: como o catalisador é item obrigatório no país, quem decide remover o componente do carro também pode se dar mal com a lei: constatada a falta da peça no veículo, é lavrada uma infração grave de acordo com o CTB - Código de Trânsito Brasileiro.

Congestionamento em rua da cidade com diversos carros parados vistos por trás
Carros são principais responsáveis pela poluição do ar nas cidades (Imagem: Unsplash)

Quanto custa um catalisador de escape?

Como já vimos, existem diversos modelos de catalisadores, especificamente adaptados para modelos de carro e de motores. A recomendação é sempre seguir a orientação do fabricante do veículo na hora de escolher a peça de reposição.

Como o catalisador automotivo leva metais preciosos em sua composição - pois são eles os responsáveis por transformar os elementos poluentes - a peça pode ter um valor não tão acessível, indo de R$ 250,00 em versões mais simples a mais de R$ 3000,00 em catalisadores de modelos específicos. 

Isso faz com que muitos motoristas procurem por alternativas mais baratas que aquelas indicadas pelo manual do carro ou, em alguns casos mais extremos, optem até mesmo por simplesmente eliminar esse componente do sistema do veículo. Nenhuma das opções citadas costuma trazer resultados positivos, obviamente.

Roubo de catalisadores dispara

Um fenômeno que tem surgido nos últimos anos é o aumento dos casos de roubos de catalisadores dos carros. O motivo? Os metais preciosos, claro.

Com a estruturação de um mercado paralelo de receptação e comércio desses metais, os casos de roubo de catalisadores vêm crescendo em todo o mundo. Como já vimos, nos carros de hoje, o catalisador é encontrado embaixo do veículo, na direção da saída do escapamento, uma posição que o torna acessível para ladrões que podem cortar e retirar toda a unidade debaixo do carro.

Como a ação criminosa tende a ser violenta contra a estrutura do carro, os prejuízos costumam ir além do valor do catalisador, pois são causadas avarias em todo o conjunto do sistema de escapamento.

Mecânico trabalhando em parte inferior de carro levantado por elevador automotivo em oficina
Roubo de catalisador pode gerar prejuízo grande para donos de carros (Imagem: Freepik)

Quanto tempo dura o catalisador?

Os catalisadores de fábrica costumam ter durabilidade maior - em torno de 3 anos ou 80 mil quilômetros de rodagem. As unidades de reposição - lembre-se de usar sempre os modelos originais recomendados pelo fabricante - podem ter vida útil menor. Fugir de combustíveis duvidosos e ter cuidado redobrado com impactos na peça reduzem a chance de problemas inesperados.

Ao longo do uso, podem ocorrer entupimentos do sistema ou quebra de componentes internos do conversor catalítico, ocasionada por choques ou colisões na parte inferior do veículo. Alguns dos principais indicadores de que é preciso efetuar a manutenção ou troca do catalisador podem ser:

  • Aumento da fumaça sendo liberada pelo escapamento do carro
  • Fumaça de cor mais escura
  • Barulhos vindos da região do escapamento
  • Aumento da rotação mesmo em marcha lenta
  • Aumento do consumo de combustível do veículo
  • Redução da resposta do acelerador/potência do motor

Garantir que um catalisador de um carro esteja em pleno funcionamento pode ser uma tarefa complicada para um leigo, já que muitas vezes os problemas só tendem a aparecer quando a peça já está comprometida.

Por isso, na hora de comprar um carro usado ou seminovo, é sempre importante estar atento a estes detalhes, contando com a ajuda de um profissional do ramo automotivo ou, melhor ainda, dispondo de um laudo veicular que ateste o pleno funcionamento do automóvel.

Venda seu carro sem sair de casa

Como comprar carros usados revisados e periciados sem sair de casa

Como já vimos, a compra de um carro usado ou seminovo exige atenção redobrada e olhar clínico para evitar qualquer chance de um mau negócio. Adquirir um carro com o catalisador problemático, por exemplo, pode resultar em gastos extras com manutenção muito antes do que você esperava. O mesmo vale para todas as demais peças do veículo, claro.

A boa notícia é que na CARUPI, esse risco não existe: todo carro comercializado em nossa plataforma online de compra e venda de usados passa por perícia e recebe laudo cautelar antes da finalização do negócio. Isso garante que quaisquer problemas ocultos podem ser identificados, evitando problemas tanto para o vendedor como para o comprador.

Mas a segurança de vender e comprar carros com a CARUPI ainda vai além: todo o processo garante o conforto e praticidade dos envolvidos. Nossa equipe produz fotos lindas e detalhadas dos veículos, que ajudam a destacar os carros nos anúncios e também apresentam os modelos em detalhes para os interessados. 

Também retiramos os carros com os vendedores e levamos aos compradores para um test drive delivery, onde podem ver de perto o modelo em questão e conferir todos os detalhes do veículo. Com o negócio fechado entre as partes, o time da CARUPI ainda cuida de todo o trâmite burocrático - vendedor e comprador só precisam assinar os documentos - e garante o pagamento. Em resumo: risco zero!

Acesse nossa plataforma online ou baixe nosso aplicativo, e venha conhecer como a tecnologia da CARUPI está revolucionando o mercado de carros usados e seminovos e proporcionando os melhores negócios para quem quer vender ou comprar um novo carro sem sair de casa!