COMPARTILHE EM SUAS REDES

Se você está pensando em vender um veículo usado ou seminovo, é bom saber que, apesar da crise do mercado automotivo em razão da pandemia, suas chances de conseguir um bom negócio são muito boas. Em alguns casos, é possível até conseguir valores acima da tabela Fipe.

Porém, não existe fórmula mágica para isso: vender um veículo pode dar um certo trabalho e, para garantir o melhor preço possível, é preciso saber se antecipar, levando em conta uma série de detalhes e procedimentos importantes. 

Como você verá no decorrer desse artigo, para fechar uma boa venda de um automóvel usado ou seminovo, é indispensável que o carro esteja em boas condições, revisado e com a estética muito bem cuidada, entre outras questões importantes. 

Você vai entender também porque saber apresentar o veículo de forma atrativa é fundamental e conferir dicas de como fazer isso do jeito certo, para que você possa vivenciar a doce sensação de ter feito o negócio dos seus sonhos.

Índice de Conteúdo

Descubra quanto vale o seu carro

        • Ano-modelo e quilometragem
        • Cor do carro
        • Histórico de sinistros
        • Localização

Como melhorar o preço de venda de um carro usado 

        • Mecânica em ordem
        • Revisões em concessionárias
        • Bonito por fora...
        • ...e por dentro
        • Evite customizar o carro
        • Quem guarda, tem
        • Mantenha a documentação em dia
        • Não seja apressado
        • Faça fotos caprichadas
        • Escreva um bom texto de descrição
        • Defina o canal de vendas ideal para você 

Afinal, qual é o jeito mais vantajoso de vender carros usados e seminovos?

Descubra quanto vale o seu carro

O primeiro passo para vender seu carro usado, claro, é definir o valor pelo qual deseja negociá-lo. E embora isso pareça ser algo simples, é preciso se atentar a alguns aspectos importantes para não errar na precificação do seu veículo e conseguir um bom negócio. 

Primeiramente, é preciso lembrar que há variações nas faixas de preço de cada modelo, com valores máximos e mínimos de revenda sendo praticados pelo setor. Plataformas como as da Fipe, KBB e Auto Avaliar são excelentes referências para saber os preços praticados no mercado automotivo e ter uma ideia melhor de quanto pedir pelo seu carro.

Seu objetivo, obviamente, é conseguir um valor de venda o mais próximo possível do preço máximo do seu automóvel, mas nem sempre isso é possível, pois alguns fatores que fogem ao seu controle entram nesse cálculo.

Ano-modelo e quilometragem

O mercado toma como base o ano-modelo do veículo, ao invés do ano de fabricação, e também o quanto o carro já rodou. Não há muito o que você possa fazer aqui: por mais conservado que seja seu carro, ele será precificado com base nesses quesitos. Quanto mais antigo e rodado, menor tende a ser o seu preço de revenda.

Toyota Corolla Cross vermelho transitando em rua da cidade com prédios e jardins ao fundo
Carros vermelhos sofrem menos com desvalorização (Imagem: Toyota/divulgação)

Cor do carro

Outro fator que impacta diretamente o cálculo de preço do seu carro é a cor. De acordo com um estudo, certas cores acabam tendo influência na depreciação do veículo: as mais chamativas -  como o verde -  ou que deixam pequenos arranhões à mostra - como o preto - tendem a ser mais desvalorizadas.

Tons de cinza ou prata ajudam a esconder riscos e colaboram para uma menor depreciação. Já o vermelho, está entre as cores que menos provocam desvalorização.

Histórico de sinistros 

Veículos que já foram envolvidos em acidentes e sofreram algum tipo de dano estrutural recuperável podem sofrer uma redução de até 50% do seu valor, por melhor que seja o resultado final do reparo. É claro que ninguém deseja bater o carro, mas, se aconteceu com você, prepare-se para lidar com a desvalorização.

Localização

A localidade pode influenciar no valor do veículo, pois os preços tendem a variar de acordo com cada região do país. Vale a pena pesquisar em revendedoras e anunciantes da sua cidade ou estado para saber como outros vendedores precificaram o mesmo modelo.

Carro prata em oficina mecânica de concessionária autorizada com capô aberto sendo inspecionado por mecânico
Revisões em concessionárias e mecânica em dia aumentam valor de revenda do usado (Imagem: Pexels)

Como melhorar o preço de venda de um carro usado

Depois de descobrir quanto o mercado paga, em média, por seu carro, é hora de conhecer algumas dicas e segredos importantes, que podem ajudar você a aumentar o valor de revenda ou, ao menos, amenizar os fatores que desvalorizam o veículo. Confira!

Mecânica em ordem

Manter o veículo em dia é obrigação do vendedor. Por isso, para evitar dores de cabeça e ajudar você a obter um preço melhor de revenda, garanta que a parte mecânica do carro esteja em ordem.

Troque as pastilhas de freio, o óleo do motor e os filtros com regularidade, e verifique rangidos e barulhos na suspensão, pois podem causar má impressão ao comprador e comprometer a venda. Revise as velas e injeção de combustível para garantir que nenhuma luz indesejada acenda no painel durante o test drive, e substitua as lâmpadas queimadas.

Revisões em concessionárias

Falando em revisão, carros revisados em concessionárias autorizadas costumam ter melhor valor de mercado que aqueles que frequentam outros tipos de oficinas. Em caso de troca de peças, dê preferência às originais de fábrica.

Se puder, guarde todos os comprovantes e recibos de realização de revisões e consertos para apresentá-los ao possível comprador.

Bonito por fora…

A aparência externa do carro é um dos primeiros atributos analisados pelos compradores. Para minimizar o efeito de um eventual desgaste na pintura, aplicar cera na lataria do veículo ou até fazer a cristalização da pintura pode ser uma boa. O famoso “pretinho” nos pneus também ajuda bastante.

Dependendo do valor do automóvel e da complexidade dos reparos, vale a pena consertar riscos, pequenos amassados e avarias mais simples. Isso pode fazer toda a diferença para uma venda mais rápida e por um preço melhor.

…e bonito por dentro 

Ninguém quer comprar um carro sujo ou com cheiros desagradáveis, não é mesmo? O ideal é manter o carro sempre limpo e cheiroso, evitando fumar no interior do veículo para que o carro não fique impregnado de odores e manchas desagradáveis. Outra dica importante na hora de vender o veículo é aplicar uma boa limpeza interna e borrifar uma fragrância suave para ajudar a conquistar os interessados.

Carro branco rebaixado e com rodas customizadas estacionado em rua com prédios de cidade grande ao fundo
Carros customizados ou rebaixados perdem valor na revenda (Imagem: Pexels)

Evite customizar o carro

Customizações não são bem vistas no mercado de seminovos e usados. Se você fez alguma alteração estética no carro, como rodas maiores e engates, desfaça: é melhor retirar tudo para evitar desvalorização e demora na negociação. 

Carros rebaixados também são muito mais difíceis de revender, pois interferem drasticamente na estrutura original do veículo.

Quem guarda, tem

Guarde a chave reserva e o manual do veículo: esses itens ajudam a aumentar a confiança do comprador e podem ser um diferencial importante na hora da venda. Na escolha entre veículos de mesmo valor e estado de conservação, o que tiver manuais e chave reserva sai na frente.

Mantenha a documentação em dia

Vender carro com débitos e documentações pendentes é um convite para se dar mal e perder um possível bom negócio. Procure quitar todos os débitos relacionados ao veículo, como IPVA, seguro obrigatório (DPVAT) e multas antes de colocá-lo à venda.

Não seja apressado

A pressa é inimiga da perfeição, e também dos bons negócios. A não ser que seja uma situação de extrema urgência, procure planejar bem sua venda e tenha paciência para esperar pela melhor negociação possível. 

Jovem mulher agachada com câmera fotográfica para fotografar carro antigo amarelo
Quanto melhores as fotos, maior a chance de conseguir um bom negócio na revenda (Imagem: Unsplash)

Capriche nas fotos

Imagens nítidas, com bom foco e em ângulos variados são fundamentais para mostrar o carro em detalhes e ajudam a influenciar o comprador em sua tomada de decisão. No entanto, para maximizar realmente o valor de revenda do seu usado, contar com a ajuda de um fotógrafo profissional ou alguém que entende um pouco mais de fotografia do que você pode ser crucial.

Saiba mais: confira o guia completo para obter fotos que fazem a diferença e realmente ajudam a valorizar o seu automóvel na hora da venda.  

Escreva um bom texto de descrição

Ao escrever sobre o veículo seja objetivo, mas tenha bons argumentos. Ressalte detalhes que possam despertar o interesse do comprador, como itens de série atraentes, opcionais de destaque e informações indispensáveis, como marca, ano-modelo, capacidade do motor, tipo de combustível, cor, número de portas e quilometragem rodada.

Caso seja o único dono do veículo até então, não esqueça de mencionar: essa informação é muito valorizada pelos compradores, e pode ajudar você a aumentar o valor de revenda do seu carro.  

Defina o canal de vendas ideal

Decidir onde pretende negociar seu carro é fundamental para conseguir o melhor preço possível na revenda do seu usado ou seminovo. Dependendo do canal de vendas escolhido, você pode ter que aceitar ofertas abaixo da sua expectativa.

Primeiramente, fuja das lojas e concessionárias: provavelmente será uma negociação mais cômoda e segura, mas para conseguir uma boa margem de lucro e cobrir taxas, despesas e comissões, os lojistas farão uma oferta mais baixa por seu carro, e você não conseguirá o valor mais alto que esperava.

Nesse sentido, o melhor caminho é negociar diretamente com os compradores, onde há maiores chances de conseguir o preço que você deseja na venda. Mas, para isso, será preciso divulgar seu carro em canais digitais, como classificados online, redes sociais, marketplaces e websites especializados. Mesmo assim, é preciso agir com cautela para conseguir uma boa venda.

Nesse tipo de negociação não existe nenhuma garantia de segurança e nenhum profissional intermediando a venda: as chances de conseguir um bom preço aumentam, mas os riscos de golpes, imprevistos e outros problemas também.

Além disso, é preciso avaliar cada serviço com atenção, pois há soluções online que oferecem rapidez e praticidade na compra do seu carro, mas pagam muito pouco por ele, já que irão revendê-lo depois em seus próprios websites com margens de lucro adicionadas.

Outro detalhe é que todos os trâmites envolvidos nessa venda direta, desde levar seu carro para test drives com os interessados até cuidar de toda a burocracia com a documentação da transferência, são de responsabilidade sua. Ou seja, é preciso investir um tempo valioso - que talvez você não tenha - para conseguir o tão sonhado retorno: vender seu carro pelo melhor preço possível.

Homem acessando website da CARUPI em laptop para vender seu carro usado
CARUPI reúne as vantagens de canais de venda diferentes em uma só plataforma (Imagem: Pexels)

Afinal, qual é o jeito mais vantajoso de vender carros usados e seminovos?

 Já deu para notar que vender um carro usado pode até não ser difícil, mas vendê-lo por um preço justo e conseguir o valor que você realmente deseja já é uma tarefa bem mais complicada. Afinal, cada canal de venda tem suas vantagens e desvantagens, e encontrar uma forma de ficar somente com os pontos positivos de cada um parece impossível.

Mas esse desafio foi aceito pela CARUPI, que chegou ao mercado para deixar a venda de carros usados e seminovos muito mais simples, prática e vantajosa.

A CARUPI é uma startup de tecnologia que oferece um serviço concierge, reunindo tudo o que você precisa para vender seu carro pelo melhor preço possível. E o melhor de tudo: com todo conforto e segurança, sem sequer precisar sair de casa.

Quer saber quanto vale seu carro? Pesquise diretamente em nossa plataforma: o diferencial é que você confere o preço praticado pelo mercado de lojistas e o preço sugerido pela CARUPI, podendo comparar e decidir qual caminho quer seguir.

Depois, é só cadastrar seu carro: você é quem diz por quanto gostaria de vender, e também qual é sua expectativa de prazo para a venda. Como já vimos, a pressa influi no valor, lembra?

A partir daí, é só deixar com a gente: nosso time assume a venda do seu automóvel e cuida de tudo. A CARUPI envia um fotógrafo profissional para produzir imagens incríveis, que valorizam seu carro, e assume a divulgação. Também filtramos as ofertas recebidas, e só repassamos a você as melhores. Ainda levamos seu carro para test drives (cobertos por seguro) e devolvemos em sua casa, e, claro: se você vender o veículo, toda a documentação de cartório é responsabilidade nossa – você só tem o trabalho de assinar a papelada.

Entendeu agora como é possível unir as vantagens de todos os canais em um só serviço, e turbinar o valor de venda do seu carro usado na CARUPI?

Quer conhecer mais sobre essa solução pioneira e inovadora, diferente de todas as outras que você já viu e que valoriza seu carro e também o seu tempo? Acesse nosso website, converse com um de nossos executivos ou baixe nosso aplicativo disponível nas plataformas Android e IOS.