COMPARTILHE EM SUAS REDES

A tentativa de vender um carro usado, muitas vezes, pode ser frustrada: é comum, por exemplo, a negociação envolver um valor abaixo do esperado e decepcionar os proprietários, que acabam não recebendo a quantia que gostariam. Por outro lado, também pode acontecer de um carro ser vendido por um preço abaixo do seu potencial de mercado. Quando o vendedor descobre que poderia ter feito um negócio melhor, já é tarde.

Situações como essas, no entanto, podem ser evitadas a partir de um cálculo correto do valor de mercado do automóvel, que fornece uma possibilidade de negociação favorável para quem vende. Informação vale ouro em qualquer tipo de negócio, e no mercado de automóveis não é diferente.

Para saber quanto vale seu carro, porém, alguns fatores precisam ser considerados, como a própria dinâmica do mercado atual e outros detalhes que influenciam na composição do valor de venda – ano de fabricação, tipo de motor, combustível, entre outros. 

Com isso, além de descobrir qual o valor justo para vender o seu veículo, é importante ter em mente o que pode alterar o preço de venda e quais são as melhores referências para realizar esse cálculo.

Vamos conhecer neste artigo:

Como saber o valor do meu veículo?

Quais são as principais referências para saber o valor do automóvel

 

Como saber o valor do meu veículo?

O primeiro passo para descobrir quanto vale um carro é entender o que compõe o seu valor. A partir de cada fator, o proprietário consegue iniciar sua avaliação e definir qual é o preço ideal para vender o veículo.

No geral, os principais indicadores de valor de um automóvel são: ano-modelo, tipo de motor, tipo de combustível, versão do carro, cor e acessórios originais.

Ano-modelo

Ao contrário do que muitos podem pensar, o valor de mercado de um veículo não é obtido pelo ano de fabricação, mas sim pelo ano-modelo. Isso acontece porque quando as montadoras lançam seus produtos para o ano seguinte, fazem alguns aperfeiçoamentos que trazem reajuste de preço.

Na prática, o efeito é que um carro 2019/2020 e um 2020/2020 terão o mesmo valor daqui dois, três anos, por exemplo, no mercado de usados, já que o ano-modelo, para ambos, é o mesmo – 2020.

Motor

O tipo de motor é outro detalhe que altera o valor de mercado de um automóvel. Nesse caso, é importante considerar esse fator porque há diferentes sistemas de motorização que influenciam diretamente na valorização do veículo.

Existem motores segundo a disposição do cilindro – vertical, em “V”, em “W” e boxer – e segundo a potência – 1.0, 1.4, 1.6, 1.8 e 2.0, entre outras possíveis variações. Cada um deles possui sua própria característica e isso contribui para o cálculo do valor de mercado de um veículo.

Motores 1.2, por exemplo, costumam ser os que menos depreciam no período de um ano – em torno de 6,45%. Já os motores 1.4 são os que mais perdem valor no mesmo intervalo de tempo – cerca de 11,5%.

Combustível

Diversos carros, hoje em dia, saem de fábrica com versões diferentes de abastecimento e esse é um fator essencial na hora de calcular quanto vale um automóvel.

Como o motor para cada tipo de combustível não é o mesmo e tem seus próprios mecanismos de funcionamento, esse é um detalhe que acaba influenciando no valor de um veículo.

Tramita na Câmara dos Deputados uma proposta que determina que carros e utilitários leves fabricados no Brasil ou importados deverão usar somente biocombustível a partir de 2030. Em uma primeira etapa, veículos com motor 1.6 a 1.8 seriam atingidos; em 2033, devem se adaptar à medida os carros com motor 1.4 a 1.6; em 2035, os motores abaixo de 1.4.

Caso venha a ser aprovado, esse projeto poderá impactar o valor dos automóveis, já que até mesmo os elétricos terão que sair de fábrica em versão híbrida, obrigatoriamente, ou seja, com a opção de abastecimento também por biocombustível. 

Versão

Além do ano e do modelo, todo carro tem sua versão, que entrega atributos técnicos, como acessórios e equipamentos de série. Essas especificações também fazem a diferença no preço final do veículo, pois uma versão mais luxuosa tende a ter mais valor que uma versão com componentes mais simples.

Cor

A paleta de cores para veículos, hoje em dia, é bem vasta, mas é importante tomar cuidado com a escolha. Algumas tonalidades influenciam na depreciação do automóvel.

Um estudo mostrou que um carro na cor verde tende a depreciar cerca de 1,2% em relação a um na cor branca – o ponto de referência. Em segundo lugar, vem o preto, que tem um índice de depreciação de 0,99%.

Nesse sentido, quem possui um veículo vermelho tem vantagem, já que essa é a cor com menor índice de perda de valor depois do branco. O marrom também é uma tonalidade que deprecia pouco (0,15%).

Acessórios originais

Por fim, mais um fator que tem grande influência no cálculo do valor de um veículo é a presença de acessórios originais. Alguns itens que já são instalados de fábrica valorizam mais o automóvel, porém, os mesmos podem ser acrescentados posteriormente pensando na revenda.

Um diferencial que valoriza o carro, mas precisa vir de fábrica, é o teto solar. Quando o modelo não possui esse item, a instalação pode acarretar em problemas e acabar forçando a desvalorização. 

Em contrapartida, há acessórios que não se encontram no veículo, mas podem ser instalados pelas próprias concessionárias certificadas pelas fabricantes para valorizar o automóvel: ar-condicionado, central multimídia, sensor de estacionamento ou câmera de ré, bancos de couro, entre outros.

 

Quais são as principais referências para saber o valor do automóvel?

Ao conhecer os principais fatores que influenciam no valor de um carro, já é possível ter uma noção de quanto ele pode valer em uma revenda. Apesar disso, ainda é necessário pensar em outras referências para obter o cálculo mais próximo possível do real valor do veículo.

Sistema de consulta de preços de carros da FIPE
Tabela FIPE foi a principal referência do mercado durante anos (Imagem: Fipe/reprodução)

FIPE

A tabela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) é uma das principais referências na venda de um automóvel. É nela que estão expressos os preços médios de carros anunciados no mercado nacional, sendo um parâmetro para seguradoras e até mesmo para lojas e concessionárias que revendem veículos.

Para saber o valor médio de um automóvel na tabela FIPE, basta informar a marca, o modelo e o ano-modelo. Dentre tudo o que é considerado, estão também o motor e o tipo de combustível.

É importante lembrar, também, que a tabela FIPE é apenas uma base para calcular preços de carros usados e nem sempre esses valores serão, de fato, pagos em uma negociação.

Sistema de consulta de preços de carros da KBB
Sistema da KBB também tem sido utilizado por quem quer descobrir valor de seu carro (Imagem: KBB/reprodução)

KBB

Da mesma forma que a tabela FIPE funciona como um parâmetro para a consulta de valor de mercado de um automóvel, o Indicador de Preço KBB tornou-se uma boa referência nesse quesito.

A Kelley Blue Book surgiu nos Estados Unidos e passou a ser considerado um parâmetro confiável de cotações de veículos em outros países, inclusive no Brasil.

Na KBB, existem diferentes faixas de preço que devem ser entendidas e consultadas: o preço KBB, a faixa de preço KBB e o preço sugerido.

O preço KBB se baseia em preços sugeridos por fabricantes, revendedores e condições de mercado. Essa soma, após análise, chega a um valor que você pode esperar pagar ou receber por um carro novo ou usado.

Já a faixa de preço KBB não dá um valor específico, mas uma margem em que o negócio tende a ser interessante e não implica em muitas perdas.

O preço sugerido, por fim, é aquele estabelecido pela própria montadora, podendo não incluir frete e outras taxas. Basicamente, é o valor de tabela que é encontrado nos sites das fabricantes.

Sistema de consulta de preços de carros da Auto Avaliar
Ferramenta da Auto Avaliar fornece opções de valor por estado (Imagem: Auto Avaliar/reprodução)

Auto Avaliar

Outra opção que pode ser útil na hora de obter o preço de um carro é a plataforma Auto Avaliar. Essa é uma ferramenta que considera alguns fatores no cálculo do valor: marca, ano, modelo, localização e versão.

Os valores obtidos pela Auto Avaliar são transacionais, de acordo com região, quilometragem e, além disso, passam por auditoria da Fundação Getúlio Vargas, que atesta a aderência e confiabilidade das informações mensalmente.

Na plataforma, o primeiro passo para saber o preço de um automóvel é inserir a marca e o modelo. Na etapa seguinte, é necessário incluir o ano do veículo, a região e a versão.

Os resultados são bem específicos, referentes a valores que pagam por determinado carro – com preço mínimo, médio e máximo – e preços que as pessoas costumam vender o modelo.

Homepage da CARUPI com seu sistema de consulta de preços de carros usados
Platafoma da CARUPI é intuitiva e ágil, e fornece comparativo de valor entre lojistas e preço sugerido pela startup

CARUPI 

Assim como a tabela FIPE, KBB ou a plataforma Auto Avaliar, a CARUPI - solução inovadora para a venda e compra de automóveis usados e seminovos - também pode ser consultada para calcular o preço de um carro usado.

Basta acessar a plataforma via website ou app, e informar marca, modelo, ano e versão do carro: com a tecnologia envolvida, é possível consultar até quanto os lojistas pagam, em média, pelo automóvel, e comparar com o preço de anúncio sugerido com a CARUPI

Após descobrir os valores, você pode preencher um formulário dizendo o quanto gostaria de receber pela venda, quanto tempo pode esperar e em qual região se encontra. A partir dessas informações, um executivo de soluções entrará em contato para dar início a um atendimento personalizado e aconselhar sobre o processo de venda, indicando as melhores estratégias de preço. 

O time da CARUPI faz uma avaliação do usado – ou seminovo – e determina, juntamente com o proprietário, um valor de venda que esteja mais próximo das tabelas de referência do mercado, buscando compradores compatíveis e filtrando as melhores ofertas. A ideia é sempre obter o melhor valor possível para a venda sem precisar passar pela depreciação de concessionárias ou pelo estresse dos classificados particulares.

Com a serviço concierge exclusivo da CARUPI, vender um carro é mais fácil, rápido e seguro: você conta com um time profissional para auxiliar em definição de preços, avaliação do veículo – com laudo cautelar incluso - fotos profissionais gratuitas para o anúncio, agendamento de test-drive (com sistema leva e traz para levar seu automóvel até o interessado em local e horário agendados) e negociação 100% online, por meio de nosso app e website. Até a papelada fica por nossa conta - e ainda levamos até você para colher a assinatura.

Saber quanto vale seu carro fica muito mais simples com as ferramentas certas, não é mesmo? E vendê-lo pelo melhor valor também!

Aproveite e conheça mais os serviços da CARUPI, e não deixe de ler outros artigos como esse em nosso blog